O Brasil é um país com grande população, dimensão continental e com muitos problemas. Esses fatores, combinados, transformam o país em um mar de oportunidades para investimentos. O bom é que, no mercado, existe um profissional que existe exclusivamente para analisar e criar estratégias nesse ramo: o assessor de investimentos.

Mas o que faz exatamente esse profissional? O que se pode esperar dele? O que considerar antes de escolher o assessor? Quais os fatores essenciais para a seleção? Continue a leitura e obtenha a resposta!

O que faz um assessor de investimentos?

Como o próprio nome já diz, o assessor de investimentos trabalha auxiliando o cliente a aplicar corretamente o seu dinheiro, conseguindo, assim, uma vida financeira mais rentável, segura e confortável.

Em outras palavras, o assessor de investimentos realiza um mapeamento das mais indicadas aplicações financeiras dentro da expectativa do cliente.

A tarefa de assessor para investimentos é a mesma que a de um gerente de banco?

Quem nunca assistiu a um comercial de banco que dizia “Deixe que o gerente do seu banco cuide (ou invista) o seu dinheiro”?

Sim, muitas pessoas podem confundir as informações e, inclusive, as publicidades bancárias podem induzir a esse erro. Mas assessor de investimentos não é a mesma coisa que gerente de banco.

O gerente do banco se encarrega da rotina da sua conta-corrente; o assessor se concentra nos investimentos corretos e mais indicados para o seu padrão de vida e perfil de investidor. Não se deixe confundir.

O que esperar do trabalho do assessor de investimentos?

O trabalho do assessor deve ser diferenciado e intensivo  ele vai trabalhar para traçar um plano exclusivo para o seu cliente. Por isso, você deve esperar algo único.

Se chegar à conclusão de que as dicas do seu profissional estão sendo genéricas e não estão trazendo o retorno esperado, você deve reavaliar a sua contratação.

O assessor de investimentos trabalha realizando frequentes reuniões, quando são discutidas todas as diretrizes da vida financeira do cliente. É necessário que o assistido seja realista e apresente todo o panorama da sua situação financeira e também seus objetivos, medos e perfil de investidor.

Na resolução dessas reuniões, o assessor apresentará quais são os melhores investimentos a serem seguidos a curto, médio e longo prazo. Os assessores mais preparados não entendem somente sua vida financeira mas também questões de proteção como seguro de vida e eficiência tributária tanto dos investimentos (hoje existem diversos investimentos isentos de imposto de renda, além de LCI e LCA já bem conhecidas dos investidores) e também auxiliar o investidor no planejamento sucessório caso tenha essa necessidade.

Como escolher um bom assessor para seus investimentos?

Agora que você já sabe o que é um assessor de investimentos, o que ele faz e o que esperar do seu trabalho, traremos dicas de como escolher o profissional ideal para lhe auxiliar com os investimentos financeiros. Confira:

Confirme se o assessor é certificado

Quando contratamos um engenheiro, arquiteto, publicitário, professor ou médico, a primeira coisa que fazemos é confirmar se o profissional é formado e licenciado para exercer aquela função. Então, com o assessor de investimentos, não pode ser diferente.

Se o assessor for um profissional autônomo, ele deve ter um obrigatório certificado chamado “Agente Autônomo de Investimento”. Isso é uma segurança e uma garantia para o cliente e para todo o sistema financeiro com o qual esse profissional terá contato.

No site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o cliente pode fazer buscas pelos registros dos assessores autônomos e das empresas que prestam o serviço. Além disso, os assessores devem possuir registro na ANCORD (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários).

Questione como o assessor obtém os seus ganhos

Como dito anteriormente, existem assessores independentes e outras empresas de assessorias que possuem contratos exclusivos com determinadas instituições financeiras.

Muitas dessas assessorias que possuem contratos de exclusividade recebem comissões pagas por instituições financeiras. Essas comissões são consequências das vendas feitas pelos assessores de produtos ligados a essas instituições. Em outras palavras, há grandes chances de que a prioridade do assessor não seja a melhor ou mais indicada para o cliente.

Já os assessores independentes costumam distribuir os investimentos do cliente por variadas instituições financeiras, o que gera um leque muito maior de opções  que é sempre mais benéfico para o contratante.

Por isso, o questionamento de ganho é um ponto importante para escolher o assessor de investimento. Um profissional que não possui contrato de exclusividade com nenhuma instituição financeira, então, tende a ser mais focado no seu cliente. Já um assessor que possui foco nas vendas e nas comissões tentará empurrar sempre produtos específicos, sem se preocupar, de forma realista, com a necessidade do cliente.

Voltando ao exemplo de outras profissões: quando você leva o seu carro para o mecânico, este lhe apresenta variadas possibilidades de peças. Já quando você vai num representante de uma marca, ele ficará restrito somente a uma marca e tentará convencê-lo de que aquele é o melhor negócio. Hoje existem no país diversas plataformas de investimentos que não tem exclusividade com nenhuma marca, com isso o cliente tem uma certeza maior que o assessor está sendo imparcial. Alguns exemplos desse tipo de plataforma são: XP Investimentos, Rico Corretora e Clear. Todas oferecem diversos produtos como CDB, LCI/LCA, Tesouro Direto, Ações e por aí vai de diversas marcas.

Preste atenção na forma como o assessor age

Tenha em mente que investir não é a mesma coisa do que guardar dinheiro, pura e simplesmente.

Verifique se o assessor está realmente entendendo o seu objetivo e está trabalhando conforme a sua realidade. Além disso, pergunte como será o acompanhamento dos investimentos  o ideal é que eles sejam revistos periodicamente, para se ter a certeza de que aquela estratégia ainda faz sentido.

Deixe detalhada e confirmada a frequência com que o assessor se encontrará com você e confirme se ele está cumprindo o que fora combinado. Os encontros devem servir para que os números de desempenho do seu investimento sejam apresentados. A metodologia de relacionamento que eu uso para meus clientes com mais de R$ 1M investidos são 4 encontros presenciais e pelo menos 12 contatos telefônicos anuais. Claro que cada cliente tem sua necessidade e disponibilidade.

Veja se o assessor possui a certificação de planejador financeiro profissional

Esse documento é diferente da certificação apresentada no primeiro tópico (tanto que ainda nem é obrigatória no Brasil), mas, com certeza, é mais uma garantia da qualidade do trabalho do profissional.

O intuito desse certificado é comprovar o conhecimento dos profissionais em relação ao tema de assessoria. Além disso, esse certificado atesta que o profissional possui aptidão sobre temas como ética, gestão de riscos, planejamento de aposentadoria e planejamento fiscal.

O teste é internacional, porém, uma versão brasileira foi adaptada e é aplicada pela Associação Brasileira dos Planejadores Financeiros (Planejar). Por meio do site da Planejar, você pode confirmar se o assessor para investimentos possui a certificação em questão.

Se você quer aproveitar as grandes oportunidades mas não tem plena segurança e ainda tem medo de ter prejuízo, siga as nossas dicas e conte com um assessor de investimentos. Dessa forma, você terá uma gama de opções adequadas ao seu perfil, com segurança e bons retornos. Mas o principal benefício que um assessor te traz em relação ao gerente do banco é o alinhamento de interesse, ou o famoso ganha x ganha.

Gostou do artigo? Tem alguma dúvida sobre como escolher o melhor assessor para investimentos? Entre em contato comigo, terei o maior prazer em ajudá-lo.

Guia Pratico 2.0 Investindo em Tesouro Direto