Como o mercado esperava, o Comitê de Política Monetária do Banco Central manteve a taxa básica de juros Selic. Com a crise política, não seria o momento de mexer na política monetária. Mas o recuo da inflação e a economia travada sinalizam para a necessidade de um corte futuro na Selic, que está em 14,25% ao ano. E os investimentos de renda fixa?

Renda Fixa

Blog Acerto de Conta$ – Alguma orientação especial na renda fixa com a decisão do Copom?

Pier Mattei, da Monte Bravo Investimentos – Crescem apostas para uma queda no juro já na metade do ano. O aplicador tem, obrigatoriamente, que realocar algo na carteira para papéis prefixados.

Blog – Para “travar” o juro alto, né?

Mattei – Exato. É hora de travar. O melhor do prefixado já passou, mas ainda há tempo. A janela está se fechando rapidamente. O melhor é CDB de bancos médios, que pagam ainda acima de 14% ao ano.

Renda Variável

Blog Acerto de Conta$ – O investidor de renda variável precisa ficar atento a que, após a manutenção da Selic?

Bruno Madruga, da Monte Bravo Investimentos – O benefício seria uma redução da Selic, tornando o dinheiro mais barato quando as empresas tomam empréstimos, a fim de fazerem seus investimentos. Mantendo a taxa, o custo do investimento se mantém também. Mas tivemos uma votação unânime no Copom, dando um bom sinal de possível redução nas próximas reuniões.

Esse é o gráfico diário da Taxa de Juro Futura, com vencimento em Janeiro de 2022:

ac8c7018-7354-43af-a2a9-2d04083bb42e (1)

 

Existe a negociação da Taxa de Juros Futura no mercado financeiro. Vemos claramente uma queda nas taxas negociadas com prazos maiores, mais longas. O mercado financeiro está precificando que existe uma possibilidade de recuos futuros na taxa Selic. Agora, se vai ocorrer realmente, não sabemos, pois o impeachment poderia mudar a equipe do Banco Central.

Por: Giane Guerra, do blog Acerto de Conta$

 

Guia Pratico 2.0 Investindo em Tesouro Direto