As famosas LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio) são espécies de títulos de renda fixa emitidos por instituições bancárias que possuem o mesmo nível de segurança da poupança. São muito parecidos com os CDBs (Certificados de Depósito Bancário), no entanto, isentos de retenção do Imposto de Renda.

Esses títulos tornaram-se os investimentos “queridinhos” dos brasileiros nos últimos anos. O fato de serem isentos do IR torna o produto mais acessível aos pequenos investidores, além do baixo risco.

Mas será que as LCI e LCA são sempre as aplicações de renda fixa mais vantajosas? É exatamente isto que você vai descobrir no artigo de hoje! Siga esta leitura até o fim e descubra as vantagens e desvantagens, entre outras informações valiosas sobre esses investimentos. Confira!

O que são Letras de Crédito Imobiliário (LCI)?

As Letras de Crédito Imobiliário são títulos de renda fixa que são emitidos por instituições financeiras. O valor dos investimentos é utilizado para fornecer crédito para fomentar o mercado imobiliário.

Ou seja, quando você compra uma LCI, o banco utiliza o dinheiro para emprestar às empresas que operam no mercado de imóveis ou até mesmo pessoas físicas que estão financiando sua casa ou apartamento.

A LCI pode ter rentabilidade pré-fixada ou pós-fixada, remunerando cada investidor de forma diferenciada, dependendo do tipo escolhido.

A rentabilidade deste título, quando a taxa é pós-fixada, será baseada em um percentual do CDI (Certificado de Depósito Bancário) negociado com a instituição que emite o título, que costuma oscilar bem próximo à taxa SELIC, taxa básica de juros da economia brasileira, que é fixada pelo Banco Central a cada 45 dias. (Se quiser saber mais sobre taxa SELIC clica aqui)

Normalmente, quanto maior for o valor e o tempo da aplicação, maior será o percentual do CDI a ser pago.

Para LCI pré-fixada, o investidor ficará sabendo o percentual no momento da aplicação, independentemente da variação do CDI.

O que mais motiva os brasileiros a recorrerem às LCI é a segurança que o investimento proporciona. Afinal, ele é garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o limite de R$ 250.000,00. No entanto, nos últimos anos este tipo de investimento não tem proporcionado um bom rendimento, vou falar sobre isso mais abaixo. Em tempo, é claro para você como o FGC funciona. Clica aqui que te explico.

Vou detalhar mais sobre este assunto ainda neste artigo. Antes, vou lhe apresentar as LCA:

O que são as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)?

Se você perguntar a um investidor qual é a diferença entre LCI e LCA, certamente ele dirá que, a princípio, nenhuma.

Realmente, não há muita diferença do ponto de vista de quem investe. O que difere uma LCI da LCA é basicamente a destinação dos valores obtidos com sua venda.

As LCA são um investimento em que os recursos são destinados ao financiamento das atividades do setor do agronegócio.

Ou seja: você adquire uma LCA através de uma Instituição Bancária e o valor investido será utilizado para financiar as operações e atividades das empresas (ou pessoas físicas como a LCI) que exploram este tipo de atividade.

A rentabilidade deste produto financeiro é obtida através da aplicação da taxa, que, assim como nas LCI, pode ser pré-fixada ou pós-fixa.

O FGC (Fundo Garantidor de Crédito) também garante as operações realizadas, no limite de R$ 250 mil, na compra das Letras de Crédito do Agronegócio.

Ambos, LCI e LCA, são isentos do Imposto de Renda (para pessoa física), como mencionei no início deste artigo.

A LCA também tem sua taxa de rentabilidade calculada pelo CDI, sendo assim, também sofreu uma queda nos últimos meses, devido a algumas mudanças no cenário ecônomico que mencionarei no próximo item:

LCI e LCA ainda são boas opções para investir?

Este não é o momento ideal para investir em LCI e LCA. Com a estagnação do mercado imobiliário principalmente, não faz sentido os bancos pagarem altas taxas nesse tipo de título. Resumindo: não tendo tanta demanda para empréstimos os bancos não fazem questão de captar para esse tipo de título.

Só para compararmos, me recordo que há 18 ou 24 meses atrás tinha disponível no mercado títulos deste tipo remunerando na casa de 96% CDI (alguns chegaram a pegar a taxas na casa de 101% CDI), hoje, os mesmo bancos e mesmo prazo, não chegam a oferecer 93% CDI!

Não estou afirmando que tais produtos não são boas formas de se investir, mas, no momento, existem outras aplicações que podem proporcionar um ganho superior, como a CRI (Certificado de Recebíveis Imobiliários) e a CRA (Certificado de Recebíveis Agrícolas).

CRA e CRI: Alternativas para os períodos ruins

Durante certo tempo, esses investimentos foram restritos a alguns investidores mais qualificados, do ponto de vista do mercado. No entanto, a cada dia estão ficando mais acessíveis a pessoas que estão iniciando no mundo financeiro.

Para facilitar a explicação e o entendimento desses dois tipos de investimentos, vou relacioná-los com as LCI e LCA. Eles têm algumas particularidades em comum, bem como algumas diferenças pontuais.

A primeira diferença é que os CRIs e CRAs são emitidos por instituições chamadas de Companhias Securitizadoras de Crédito. Isto acaba refletindo positivamente na rentabilidade destes produtos financeiros, sutilmente maiores que as Letras de Crédito Imobiliário ou Agropecuário.

Simplificando, o investidor que aplica em um desses dois investimentos adquire o direito de receber fluxos de pagamentos de financiamentos imobiliários, nos casos das CRIs, ou agropecuários, no caso das CRAs.

Assim como as LCI e LCA, esses títulos também possuem isenção do Imposto de Renda, tornando-os mais atrativos aos olhos dos investidores. No entanto, diferem desses investimentos pelo fato de não serem garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

No entanto, isto não implica dizer que esses produtos financeiros possuem um alto risco. Isto porque existem análises que poderão ser feitas pelo investidor antes de adquirir um título. Além disso existe um indicador chamado “Rating”, utilizado para selecionar a melhor companhia para investir.

Este indicador é uma nota atribuída à companhia securitizadora que representa sua capacidade de pagar suas dívidas e principalmente do lastro do título; alguns, tem a classificação de risco muito parecida com títulos públicos.

Essas informações possibilitam ao interessado escolher um investimento que possui uma boa rentabilidade com riscos baixos. Existem casos em que as garantias oferecidas são maiores que aquelas disponibilizadas pelos bancos na aquisição de LCIs e LCAs.

Gostou deste artigo sobre LCI e LCA e sobre as formas alternativas de investimento? Se você quer ficar por dentro de mais informações valiosas sobre este assunto, curta a página no Facebook e inscreva-se no canal do YouTube!

Guia Pratico 2.0 Investindo em Fundos Imobiliários