LCI e LCA são siglas usadas para dois tipos de investimentos de renda fixa, ambos isentos de Imposto de Renda e que normalmente garantem retorno superior ao da poupança. Ficou interessado? Então você precisa conhecer a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA).

Mas, se ambos têm isenção de IR e rendem mais do que a caderneta de poupança, qual a diferença entre investir em uma LCA ou em uma LCI?

Letras de Crédito Imobiliário – LCI

Emitido por um banco, esse título de renda fixa tem como garantia de crédito os empréstimos imobiliários. Eles podem ter, assim como os CDBs – dos quais falamos neste artigo aqui – a rentabilidade pré ou pós-fixada. Isso significa que o investidor pode saber na hora da contratação quanto vai receber no período de aplicação ou que o retorno terá uma variação conforme taxas de juros do mercado.

Para as LCIs pós-fixadas, é recebido um percentual do Certificado de Depósito Bancário (CDI) – que explicamos melhor neste artigo – que é negociado com a instituição emissora do título. O CDI, por sua vez, normalmente oscila próximo à taxa Selic – taxa de juros brasileira –  que é determinada pelo Banco Central periodicamente (a cada 45 dias). O prazo e o valor da aplicação também influenciam nessa conta, geralmente quanto maiores estes valores, maior o percentual que é pago do CDI aos investidores.

Nas prefixadas, quem aplica sabe na hora do investimento quanto vai receber, sem relação com a variação do CDI durante o período.

Letras de Crédito do Agronegócio – LCA

A grande diferença entre LCI e LCA é o garantidor de crédito. As Letras de Crédito do Agronegócio são emitidas por bancos, que por sua vez são garantidos pelos empréstimos feitos para o setor de agronegócio. O objetivo de criação destes títulos pelo governo é aumentar os recursos oferecidos para financiar o agronegócio.

A rentabilidade aqui também pode ser pré ou pós fixada e acompanha a mesma lógica das LCIs, ou seja, no caso da pré-fixada há o conhecimento da remuneração na hora em que se compra o título. E, no caso da pós-fixada, geralmente a rentabilidade se baseia em um percentual do Certificado de Depósito Bancário (CDI). O CDI varia muito próximo à taxa Selic, que é a taxa básica de juros. Assim, nesse segundo caso, quanto mais alta a Selic, maior a rentabilidade – e o contrário também.

Vantagens

  • Isenção do Imposto de renda faz a rentabilidade líquida ser maior, especialmente em investimentos de longo prazo.
  • Garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF e instituição financeira. Assim, em caso de problemas ou quebra da instituição bancária, há garantia até este limite. Funciona mais ou menos como um seguro. O ideal, para investimentos maiores do que isso, é diversificar os investimentos – além de reduzir o risco, isso garante mais retorno.
Como investir?
  • Primeiro, é indicado procurar um assessor de investimentos, para ajudar a escolher qual instituição, investimento e aumentar seus rendimentos – e ajude a escolher entre LCI e LCA.
  • Escolher um banco ou corretora que vá intermediar a compra e venda. Os bancos só vendem LCIs e LCAs emitidas pela instituição, por isso uma corretora, que oferece produtos de vários bancos, tem a possibilidade de buscar papéis mais rentáveis.
  • Pergunte para seu assessor e pesquise sobre o título que vai ser comprado. Como há pré e pós-fixadas, é preciso comparar para ver qual se aproxima mais de suas necessidades, oferecendo retorno mais atrativo.
  • Os títulos prefixados normalmente são mais difíceis de serem encontradas no mercado. Elas são mais atrativas quando os juros no período de aplicação apresentaram queda.
  • É importante respeitar o limite de R$ 250 mil, já que esse valor é o limite de garantia do FGC. Se quiser investir mais, diversifique em bancos diferentes.
  • É preciso verificar também se há cobrança de taxa de custódia.
  • Também é necessário verificar qual o investimento mínimo para os títulos e a liquidez que oferecem.
Riscos
  • De crédito: em caso de quebra do banco, é possível que investidores tenham perda. Por isso é importante respeitar o limite do FGC, de até R$ 250 mil, que traz segurança ao investimento.
  • De liquidez: esse tipo de título só oferece resgate no vencimento e não pode ser movimentado até essa data. Por isso, é importante verificar essa informação no momento da aplicação e buscar um investimento adequado às suas necessidades.
Guia Pratico 2.0 Investindo em Fundos Imobiliários