O planejamento financeiro em longo prazo é uma preocupação de grande parte dos brasileiros, independentemente do seu perfil de renda. Para quem tem mais dinheiro, a oferta de opções de investimentos costuma ser mais ampla, oferecendo diversas possibilidades. Por outro lado, quem dispõe de recursos mais limitados não encontra uma diversidade tão grande de investimentos. Ainda assim, mesmo com algumas restrições nas opções de investimentos, é possível investir com pouco dinheiro.

Neste artigo, elaborei um guia completo direcionado exatamente para as pessoas que têm menos dinheiro, mas que igualmente se preocupam com o seu planejamento financeiro em médio e longo prazo, desejando garantir uma aposentadoria mais segura e um futuro financeiro estável.

Você vai descobrir que é possível sim investir com pouco dinheiro e, além disso, vai entender como fazer isso e quais são as melhores opções de investimento segundo o seu perfil econômico. Por fim, vai ter acesso a algumas dicas importantes sobre educação financeira e orientações que vão lhe ajudar a alcançar o sucesso nessa longa jornada pelo mercado financeiro. Descubra!

É possível investir com pouco dinheiro

Como já citei, essa é uma das dúvidas mais comuns dos pequenos investidores que não detêm tanto conhecimento a respeito do mercado financeiro. Normalmente, quem tem poucos recursos disponíveis acaba deixando de lado o mercado financeiro de investimentos por acreditar que não tem capacidade econômica para começar a investir.

Entretanto, o que muitas dessas pessoas não sabem é que é possível sim investir com pouco dinheiro, sendo que hoje existem diversas opções de investimentos que podem ser direcionadas aos investidores que não têm um valor muito alto à sua disposição.

Portanto, se você possui uma pequena reserva financeira e gostaria de transformá-la na sua aposentadoria futura, continue a leitura deste artigo e descubra como começar a investir agora mesmo!

Confira a seguir um passo a passo com dicas de como começar a ingressar nesse universo e descubra as inúmeras possibilidades disponíveis para transformar o seu plano de finanças pessoal e familiar.

Saiba como investir com pouco dinheiro

Para quem quer começar a investir e dispõe de recursos financeiros limitados, o primeiro passo é livrar-se de qualquer dívida, caso elas existam.

1. Quite suas dívidas

Se você tem qualquer dívida em aberto, antes de começar a investir, o primeiro passo é focar a sua energia quitando essas obrigações. Embora isso possa parecer óbvio para alguns, ainda é comum encontrar pessoas interessadas em investir mesmo tendo dívidas em aberto. 

Portanto, o primeiro passo é verificar a existência de dívidas em aberto, tais como cartão de crédito, por exemplo, e caso elas existam, providenciar o seu pagamento. É impossível começar a investir se você tiver qualquer tipo de pendência desse tipo.

2. Componha uma reserva financeira

Também chamada de reserva de emergência, a reserva financeira é uma quantia de dinheiro reservada para cobrir qualquer tipo de imprevisto. Ela pode ser usada em casos de problemas de saúde, despesas extras com algum dano material, enfim, com qualquer tipo de imprevisto que possa ocasionar despesas adicionais não planejadas.

Qualquer pessoa que pense em investir — principalmente investimentos a longo prazo — deve ter uma reserva financeira para cobrir imprevistos. Essa reserva poderá ser direcionada para investimentos com liquidez diária, como investimentos de renda fixa, por exemplo. Não existe uma regra, mas, de forma geral, o valor dessa reserva financeira deve representar de 5 a 15 vezes as suas despesas médias mensais.

Ao realizar um planejamento de investimentos, o seu consultor poderá auxiliar no momento de definir qual será a quantia a ser direcionada para a reserva financeira e, por isso, é importante você contar com o apoio de um profissional capacitado. Ele terá condições de orientá-lo acerca das melhores opções de acordo com o seu perfil e os seus recursos financeiros.

3. Estabeleça seus objetivos econômico-financeiros

Apesar de ser o terceiro passo, esse talvez seja o primeiro passo efetivamente prático para quem vai começar a investir. Com as dívidas quitadas e uma reserva de emergência estabelecida, você já vai ter uma ideia de quanto dinheiro você tem efetivamente disponível para os seus novos investimentos.

Tendo essa informação em mãos, é o momento de colocar no papel quais são os seus objetivos em médio e longo prazo. Confira alguns exemplos:

  • adquirir uma casa própria em até 6 anos: valor estimado de R$ 100.000,00;
  • adquirir um carro próprio em até 2 anos: valor estimado de R$ 60.000,00;
  • montar uma reserva financeira para a faculdade dos filhos em até 8 anos: valor estimado de R$ 200.000,00.

Enfim, os objetivos devem ser estabelecidos de acordo com o seu planejamento. Além de definir a meta, é importante estabelecer um prazo médio e estimar um valor financeiro. Claro que essas informações não serão exatas (e nem precisam ser). O importante é o ato de materializar por meio desses objetivos um desejo que você quer alcançar.

Esse exercício vai te ajudar tanto a manter o foco do planejamento, quanto no processo para traçar e direcionar as suas metas de investimentos junto com o profissional que vai assessorá-lo.

4. Defina onde vai investir

Com os objetivos já traçados, é chegada a hora de colocar a “mão na massa”. Nesse momento, com a ajuda de um profissional, você vai definir onde vai investir.

De forma geral, os investimentos podem ser divididos em três tipos: os investimentos de curto prazo, médio prazo e os de longo prazo. Entenda um pouco o que cada um deles significa:

4.1. Investimentos de curto prazo

Como o próprio nome já diz, os investimentos de curto prazo são aqueles investimentos em que você levantará os valores em um prazo de tempo menor. Entenda que, nesse caso, o curto prazo pode ser de um dia até um ano. Em investimentos desse tipo, a melhor solução é investir em ativos de renda fixa, pós-fixada e com liquidez diária.

Um bom exemplo de ativo que se encaixa neste perfil é o Tesouro Direto, mais especificamente a Letra Financeira do Tesouro, também conhecida pela sigla LFT.

4.2. Investimentos de médio prazo

Diferente dos anteriores, os investimentos a médio prazo são aqueles que variam entre dois e cinco anos. Para quem vai investir em uma estratégia a médio prazo, o melhor caminho é a criação de uma carteira de investimentos de renda fixa mais diversificada.

Se você quer investir a médio prazo, terá um número maior de possibilidades em termo de ativos e títulos, tais como: Letras do Tesouro Nacional (LTN), Certificados de Depósito Bancário (CDB), Letras de Crédito Imobiliário (LCI), entre outros.

4.3. Investimentos de longo prazo

Agora, se você tem objetivos mais longos e quer investir em longo prazo (investimentos com prazo maior do que 5 anos), a sugestão é criar uma carteira diversificada e que abarque fundos imobiliários e ações.

É claro que o investimento em ações deve levar em consideração diversas questões, e uma delas é o valor disponível para investimento (assunto central deste artigo) e o perfil do investidor. Portanto, se você planeja um investimento a longo prazo, é importantíssimo estar muito bem assessorado por profissionais especializados na área.

Quando se fala em investimento em ações, está se falando em investimento em renda variável, o que só traz bons resultados para investimentos em longo prazo. Os melhores resultados nesses investimentos são observados quando traçados com objetivos mais longos.

Como você provavelmente possui uma pequena reserva financeira para investir e o retorno em investimento variáveis é imprevisível, o ideal é sempre começar com investimentos em renda fixa. Claro que nada impede que você invista na bolsa. Dependendo do seu perfil (que será traçado pelo seu consultor de investimentos), é possível adaptar seus investimentos e pensar em soluções que atendam ao seu objetivo e às suas expectativas financeiras.

5. Conheça e acompanhe o mercado

A educação financeira é muito importante para qualquer pessoa, seja ela investidora ou não. Tratarei dela com mais profundidade mais adiante, entretanto, vale destacar que sua relevância a torna um passo importante no seu processo para começar a investir, mesmo que com pouco dinheiro.

Além disso, contar com a assessoria de profissionais qualificados e com expertise no mercado de finanças vai lhe ajudar a garantir maior rentabilidade e segurança para o seu dinheiro. Afinal, mesmo que a reserva não seja tão grande, certamente esse dinheiro é fruto de esforço e trabalho, e você deseja transformá-lo na concretização dos seus sonhos.

No próximo item, vou tratar de um tema que interessa a todo mundo que deseja investir, mas tem pouco dinheiro: opções de investimento. Continue a leitura e descubra!

Quais são as opções de investimento com pouco dinheiro

Vamos direto ao assunto! Se você tem pouco dinheiro e quer investir, a melhor opção são as aplicações de renda fixa. Esse tipo de aplicação tem a sua forma de remuneração definida no momento em que é realizado o aporte. Para o investidor que dispõe de uma quantia menor, essa acaba sendo uma opção mais segura, de baixo risco e com liquidez diária.

Selecionei as melhores opções de investimentos de renda fixa para investidores que se encaixam nesse perfil. Confira a seguir um pouco mais a respeito dos conceitos e características de cada uma delas:

Fundo Simples

O Fundo Simples é um tipo de fundo de investimentos destinado para os investidores iniciantes, ou seja, que estão começando a investir e costumam dispor de uma quantidade mais limitada de recursos financeiros. De forma geral, esse tipo de fundo costuma ter resultados melhores do que os apresentados pela poupança, e esse é um dos motivos pelos quais ele tem se destacado no mercado.

Os investidores iniciantes são justamente aquelas pessoas que usam a poupança e que estão buscando novas alternativas de investimento com menor risco. Para quem não sabe por onde começar, vale a pena conhecer o Fundo Simples e entender em que aspectos ele é melhor do que a poupança.

Também chamados de fundos de renda fixa simples, eles se caracterizam por deter quase a totalidade dos investimentos em títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras e títulos públicos federais. Ou seja, os investimentos são direcionados apenas em papéis com baixo risco de perda.

O principal objetivo desse tipo de fundo é ser uma opção segura, fácil, prática e simples que permita aos novos investidores uma experiência em investimento com rentabilidade superior à da poupança e sem grandes riscos de perda financeira.

Mas atenção: é preciso estar atento ao optar por essa alternativa quando o assunto é a taxa de administração da corretora de investimentos. Se você quer investir em Fundos Simples, precisa verificar as taxas de administração da sua corretora e dos custos com Imposto de Renda (que nesse caso é cobrado duas vezes ao ano). 

Em alguns casos, dependendo da quantia a ser investida, pode não se tornar viável optar por investimentos em Fundos Simples em razão do alto custo agregado.

Letra financeira do Tesouro (LFT) ou Tesouro Selic

Uma outra excelente opção para quem quer investir e tem pouco dinheiro disponível é o chamado Tesouro Selic, também conhecido como Letra Financeira do Tesouro (LFT). Trata-se basicamente de um título pós-fixado em que a rentabilidade está atrelada à variação da Taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia), que é a taxa básica de juros da economia nacional.

Apesar das incertezas econômicas, esse ainda é considerado um dos investimentos mais seguros disponíveis no mercado. O investidor pode comprar títulos públicos com uma disponibilidade financeira muito baixa (R$ 30,00). 

Nesse tipo de investimento, o investidor realiza um empréstimo financeiro para o governo e, em troca, recebe uma remuneração por isso. Para fazer esse tipo de investimento é necessário buscar uma corretora que vai realizar toda a intermediação da negociação. Vale lembrar que os bancos também realizam essa intermediação.

O investidor que tem características mais conservadoras se dá muito bem com o Tesouro Selic, já que, além de ter uma boa rentabilidade (que acompanha a taxa básica de juros), a pessoa não está correndo risco de ter prejuízos caso decida vender o título em data anterior ao prazo de vencimento para resgate do dinheiro. De forma geral, esse tipo de título rende mais que a poupança, razão pela qual segue sendo uma opção mais viável para os investidores que querem diversificar.

Assim como acontece no Fundo Simples, o investidor precisa estar atento às taxas de administração e aos custos com tributação. É o caso do Imposto de Renda, por exemplo, por incidir com alíquotas que variam de 15% até 22,5%.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

O Certificado de Depósito Bancário também tem características de empréstimo, entretanto, nesse caso, o investidor empresta o dinheiro para o banco para receber uma remuneração em troca.

A instituição bancária que recebe o dinheiro do investidor utiliza aqueles recursos para efetuar empréstimos a outros clientes e o seu lucro se dá por ela pagar ao investidor uma taxa menor do que a cobrada para emprestar o dinheiro para os seus clientes, aqui chamados de tomadores de crédito.

Ao investir em CDB, também é importante estar atento às taxas e aos valores pagos pelas instituições bancárias. Isso porque, em algumas situações, e dependendo do valor que o investidor tiver disponível, pode não ser vantajoso fazer essa opção.

Antes de considerar esse tipo de investimento, portanto, verifique o que o seu banco oferece e até que ponto ele realmente é vantajoso em termos de rentabilidade. Vale a pena avaliar as taxas de outras instituições bancárias, já que, em alguns casos, os bancos menores podem oferecer retornos mais interessantes.

Por fim, vale destacar que os Certificados de Depósito Bancário são investimentos tão seguros quanto a própria poupança. Por isso, se o seu investimento for inferior a R$ 250.000,00, você está garantido pela cobertura do Fundo Garantidor de Crédito.

Esses são os três principais investimentos indicados para os investidores que possuem uma quantia menor disponível para investir. Além disso, a poupança ainda é uma opção de investimento, principalmente em razão das oscilações nas taxas econômicas nacionais. Tendo isso em vista, a educação financeira e a assessoria de bons profissionais são pontos importantes e que vou abordar no próximo capítulo.

Como você vai ver, sem educação financeira é impossível se tornar um investidor de sucesso. Você pode ter dinheiro e pode até mesmo ter assessoria de bons profissionais. Entretanto, sem conhecimento você não consegue ir muito longe. Confira a seguir as minhas dicas de educação financeira para você que quer investir e tem pouco dinheiro.

A importância da educação financeira

A educação financeira é um processo pelo qual as pessoas buscam melhorar a sua compreensão com relação aos temas voltados para suas finanças pessoais. Ter conhecimento e entender a importância do assunto são características importantes para quem deseja se tornar financeiramente independente, detendo o controle de suas finanças e tendo disponibilidade de recursos para investir com inteligência e perspicácia.

Ou seja, a educação financeira é o ponto de partida para toda pessoa que deseja investir o seu dinheiro e garantir segurança e tranquilidade para o futuro.

O tema é muito extenso e vários pontos devem ser abordados em um processo de educação financeira. Com isso em mente, listei alguns itens e práticas que devem ser observados e aprofundados por quem deseja se tornar um investidor de sucesso. Confira:

  • procure conhecer conceitos básicos de economia e entenda a relação que existe entre o mercado econômico e os acontecimentos políticos;
  • leia jornais e mantenha-se atualizado a respeito de temas que impactam diretamente a economia nacional e nos seus investimentos;
  • se você tiver dúvidas a respeito de reflexos econômicos em seus investimentos, busque saná-las com profissionais da área ou por meio de blogs especializados;
  • aprenda a montar um orçamento doméstico e tenha total controle das despesas familiares;
  • aprenda como economizar sem sofrer;
  • evite dívidas, e caso elas existam, busque alternativas para se livrar delas;
  • ​antes de investir, procure informações no mercado e entenda exatamente o que significa optar por um investimento;
  • saiba o que é inflação e aprenda a interpretar outros conceitos relacionados a ela, além de saber como se defender dela.
  • entenda a diferença entre renda fixa e variável, e busque avaliar qual delas melhor se encaixa nos seus objetivos;
  • conheça os tipos de perfil de investidores e avalie em qual deles você se encaixa;
  • saiba como estar preparado financeiramente para emergências;
  • leia livros especializados e mantenha-se constantemente atualizado, tanto em termos de literatura quanto por meio de blogs e sites especializados.

A educação financeira é um assunto de tamanha importância e relevância na vida das pessoas, que deveria ser matéria básica nas escolas. O reflexo de uma boa gestão financeira na rotina dos investidores é notável. Por isso, conhecer o mercado, entender conceitos básicos e saber lidar com o dinheiro com sabedoria são aspectos que impactam a vida como um todo.

Na Pense Investimentos, eu procuro compartilhar conhecimentos que agreguem na vida de todos os leitores, desde os pequenos até os grandes investidores. Isso porque aprender a lidar com o dinheiro é o tipo de conhecimento que agrega e traz benefícios para todos eles.

Se você tem pouco dinheiro e deseja começar a investir, comece investindo na sua educação financeira. Depois, siga os passos que eu compartilhei neste artigo. Lembre-se de que, mesmo com pouco dinheiro, é possível lidar com a inteligência e com as opções disponíveis (e há diversas opções para o seu perfil).

A principal característica de um bom investidor é saber reconhecer os seus objetivos e ter foco para a concretização daquilo que busca. Por isso, ainda que o valor do seu investimento seja mais baixo, ele não lhe impede de traçar objetivos e metas em curto, médio e longo prazo.

Comece agora mesmo a investir e veja o universo de novas possibilidades que vai se abrir para você. Além disso, se você tiver qualquer dúvida sobre como investir com pouco dinheiro, acesse o blog e busque matérias que tratem do assunto. Aqui, você vai encontrar muitos materiais interessantes que vão agregar conhecimento e ideias para o seu planejamento financeiro.

Por fim, não esqueça de buscar a assessoria de bons profissionais, isso faz toda a diferença no resultado final alcançado com os seus investimentos.

Agora que você já sabe como investir com pouco dinheiro, que tal começar a investir na sua educação financeira? Assine a newsletter da Pense Investimentos e fique por dentro de notícias e artigos especializados sobre o mercado de investimentos.

Guia Pratico 2.0 Investindo em Tesouro Direto