A pessoa tem títulos do Tesouro Direto que valorizaram 30% ou mais nos últimos meses. São as antigas NTN-B, que pagam o juro acordado mais a inflação pelo IPCA. Só que era dinheiro guardado para os filhos. Ou seja, sem intenção de retirar antes do fim dos contratos. Vale deixar lá ou sacar e fazer outra aplicação?

Sócio da Monte Bravo Investimentos, Pier Mattei responde:

É uma dúvida muito boa. A mesma de muitos de nossos clientes.

Na nossa opinião, não há certo ou errado. Os títulos públicos, principalmente os mais longos, tiveram uma valorização muito expressiva e em um curto espaço de tempo, fruto de mudanças exclusivamente no cenário político. Esta valorização é temporária. Se o investidor levar este título até o vencimento, terá somente a rentabilidade contratada no título.

O que alguns muitos investidores fazem neste momento é vender pelo menos parte destes títulos e garantir esta lucratividade, antecipando um resultado que possivelmente levaria bastante tempo se considerarmos somente a remuneração proposta pelo título. Até porque, o cenário ainda é de volatilidade para o mercado.

Blog Acerto de Conta$: E onde seria um bom lugar para investir este dinheiro, que teria um objetivo de longo prazo?

Mattei: Papel prefixado puro nesse cenário de inflação em queda é interessante de ter, caso o aplicador tenha tudo em IPCA+, por exemplo. Pode aproveitar esta valorização e diversificar um pouco.

Aqui, temos diminuído a exposição de quem tinha NTN-B 2050. Com isso, embolsa o ganho e iremos posicionar em vencimentos mais curtos pra diminuir o risco. Significa comprar títulos com prazos menores, como 2035.

A inflação tem o comportamento de um sorriso, como se fosse um “U”. No início e no final do ano, é mais forte. No meio, é mais baixa. Então, ficar em CDI nesses próximos meses tende a dar mais do que a rentabilidade contratada de um IPCA+.

Realmente, a dúvida é boa porque, se os juros seguirem caindo, os títulos podem seguir se valorizando.

Nota Blog Acerto de Conta$: Para o leitor entender: quando se compra um título do Tesouro Nacional, o investidor já acerta a data de fim da compra e, quando chegar o dia, ele receberá este “pagamento”. No caso da NTN-B, uma taxa de juros mais a inflação oficial. Mas o investidor pode sim vender o título antes, não precisa segurar até 2035, 2050… Só que ele vende pelo que o mercado está pagando no dia. O que vem acontecendo nos últimos meses é que o mercado está pagando mais por estes títulos. Por isso, falamos em valorização.

Por Giane Guerra, do blog Acerto de Conta$

Guia Pratico 2.0 Investindo em Fundos Imobiliários