Já falamos sobre: Como juntar R$ 1 milhão?

No Live de economia que fizemos na última semana no Facebook da Rádio Gaúcha, surgiu a dúvida se a pessoa consegue viver de renda investindo R$ 1 milhão.

botão ferramenta

Assessor da Pense Investimentos, Felipe Assunção conta que tem clientes com esse perfil e explica como gerencia os investimentos destas pessoas:

Primeiro, é preciso definir qual padrão de vida a pessoa quer. Sabendo quanto pretende gastar por mês, consegue-se identificar qual tem que ser a rentabilidade mensal das aplicações financeiras.

– Hoje, a pessoa com R$ 1 milhão no mercado financeiro tira de R$ 10 mil a R$ 12 mil por mês. A gente faz uma engenharia financeira na carteira do cliente. – conta Assunção.

Uma observação:

Esta rentabilidade não considera a atualização dos valores pela inflação. Questionado quanto a isso, o assessor explica que, em geral, as pessoas não querem manter o poder de compra do patrimônio, permitindo que o montante de base seja usado aos poucos ao longo dos anos. 

Começa colocando 20% do dinheiro – R$ 200 mil – em aplicações com liquidez imediata. São investimentos de onde a pessoa pode tirar o dinheiro a qualquer momento, sem ter multa ou pagar taxas altas, como do Imposto de Renda.

Depois, pega o restante – R$ 800 mil – e fatia em outras aplicações, ampliando os prazos de carência.

– Ou seja, coloca o dinheiro em um lugar de onde pode sacar em seis meses, daqui a um ano, dois anos, três anos… É feito um escalonamento.

Conforme o investidor vai abrindo mão de liquidez, vai aumentando a rentabilidade. Existe um tripé que une segurança, rentabilidade e liquidez.

– Nunca temos os três. – salienta Assunção.

Como segurança é importante para este tipo de investidor, que vai viver de renda, é preciso jogar com os outros dois fatores. A carteira fica em investimentos 100% seguros.

Exemplo dado pelo assessor:

“20% com liquidez que pode ser sacado a qualquer momento. Então, vai sacando dali mensalmente.

Daqui a seis meses, vence uma aplicação. Pego os rendimentos dessa aplicação. Digamos que eram R$ 200 mil que viraram R$ 250 mil. Eu pego estes R$ 50 mil e recomponho aplicando na liquidez imediata e pego os R$ 200 mil e coloco para mais seis meses. Dois meses depois, pego o investimento que fiz com prazo de oito meses. E faz o mesmo.”

Veja o Live da Gaúcha com Felipe Assunção:


Fonte: Blog Acerto de Conta$ | Rádio Gaúcha

Guia Pratico 2.0 Investindo em Fundos Imobiliários